Sofisticação TecnológicaMade in Brazil

A respeito da forte retração da economia nos últimos dois anos, a ZF não arrefeceu em nada sua disposição para oferecer ao mercado brasileiro e sul-americano o estado da arte em sofisticação tecnológica e inovação. Pouco tempo depois de lançar na Europa suas mais modernas transmissões automatizadas, a empresa já planeja as linhas de montagem na fábrica de Sorocaba, SP, para a produção da TraXon de 12 e 16 marchas e da ZF-EcoTronic, a automatizada com 9 velocidades.

A transmissão automatizada TraXon equipa os caminhões pesados mais modernos do mundo, e é a transmissão do futurista ZF Innovation Truck 2016 (veja matéria na página 10). Já a ZF-EcoTronic foi desenvolvida sob medida para oferecer alta eficiência aos caminhões médios e semipesados.

Para entrar em produção, serão feitos ajustes na linha que já produz a automatizada AS Tronic e que também passará a montar a TraXon. Por outro lado, a linha que fabrica a Ecomid, transmissão mecânica de 9 velocidades, também montará a ZF-EcoTronic.

“Nossa capacidade instalada já era bem superior à realidade do mercado nacional. Por isso, todos os investimentos foram voltados à adequação na linha produtiva, que é altamente adaptável ao recebimento de produtos com um conteúdo tecnológico maior como a TraXon e a ZF-EcoTronic”, conta Wilson Bricio, presidente da ZF América do Sul.

A TraXon e a EcoTronic serão nacionalizadas por terem um grande potencial de mercado para os próximos anos. “A ZF tem plena confiança na recuperação do mercado brasileiro, mesmo que de maneira gradual. Por isso, estamos sempre prontos para atender a necessidade de renovação dos nossos clientes oferecendo produtos globais e com a mais alta inovação tecnológica”, comenta Wilson Bricio.

A motivação para esta nacionalização veio do sucesso irrefutável de participação das transmissões automatizadas no segmento de pesados e extrapesados, aliada à crescente demanda dos clientes para a extensão desta solução a outros segmentos. Programas governamentais como o Inovar-Auto colaboraram com a necessidade de nacionalização dos produtos, pois o sistema de transmissão é um dos principais itens de valor agregado do driveline dos caminhões. Com a sua nacionalização, obtém-se um ganho substancial de conteúdo local dos veículos.

A ZF está com diversos protótipos da TraXon rodando pelas estradas em parceria com importantes fabricantes de caminhões. “A recepção aos novos produtos e os resultados dos testes têm sido fantásticos”, ressalta o executivo. A expectativa da ZF é que, no caso da TraXon, haja uma substituição natural e gradual das transmissões manuais ainda existentes e também das automatizadas AS-Tronic, que hoje são utilizadas por diversas montadoras instaladas no Brasil, e que poderão incluir a inovadora TraXon a partir de novos projetos de caminhões.

Por ser um produto global, a TraXon chega ao Brasil contemplando diversas demandas de aplicações locais. Contudo, sempre existe a necessidade de adequações visando uma melhor performance nos requisitos técnicos exigidos pelos clientes.

Durante o processo de nacionalização são analisados diversos pontos como topografia, temperatura local, além de necessidades específicas dos operadores de transporte, considerando que, mesmo com um conjunto básico de hardware e software, o sistema permite ajustes finos em sua calibração. “Tudo para que a transmissão possa sempre extrair o melhor da curva de torque e potência do motor”, detalha Silvio Furtado, diretor de Vendas da ZF América do Sul.

Mais um segmento a ser explorado

Assim como a TraXon, a ZF-EcoTronic já se encontra em testes com clientes. A configuração mais adequada já está sendo discutida com os futuros compradores e a

partir destes dados será possível chegar ao índice de nacionalização da transmissão. A princípio, o produto que já é produzido na Planta de Sorocaba na versão manual só receberá algumas atualizações em seu hardware, bem como programações que sejam mais adequadas às condições das estradas e ruas brasileiras.

Em termos de mercado para a EcoTronic, a expectativa da ZF é de que haja uma substituição natural e gradual das transmissões manuais ainda existentes, porém a passos mais lentos do que nos veículos pesados e extrapesados.

A seu favor, a EcoTronic é uma transmissão de peso reduzido em relação ao que existe no mercado e com excelente desempenho. “Temos clientes que reconhecem o conceito de transmissão automatizada de 9 velocidades mais eixo traseiro com simples redução, mas a ZF também disponibiliza para este mercado a solução automatizada de seis marchas para quem optar por um eixo de dupla redução”, completa Furtado. Levantamentos indicam que o maior benefício da tecnologia de transmissões automatizadas é a redução do custo operacional através do menor consumo de combustível, redução do desgaste dos elementos de atrito de embreagem e freios, padronização da condução, redução do tempo de manutenção e aumento da segurança.

Inovação que faz a diferença

Um componente que desempenha um papel essencial no conforto do sistema da ZF-EcoTronic é plataforma de software de controle que é a mesma da TraXon.

Além de possibilitar diferentes modos de condução – de Eco até Power – com sua arquitetura e dependendo da aplicação, o software de controle oferece diversas funcionalidades adicionais opcionais, que proporcionam um valor agregado considerável ao cliente final: do elevado grau de conforto nas manobras até funções como a start-stop.

Durante seu desenvolvimento, para tornar a EcoTronic econômica, inclusive com relação aos custos do ciclo de vida total, a ZF se concentrou sobretudo na facilidade da manutenção.

A modularidade da transmissão possibilita utilizar seis kits de reparo. Dependendo do modo de montagem no veículo, muitos dos eventuais serviços de manutenção e reparo podem ser realizados sem precisar remover a transmissão.

Tendências

As aplicações de transmissões automatizadas em caminhões pesados e médios e automática em veículos leves já é bem evidente na Europa. Estudos de mercado indicam que, no bloco dos países emergentes, esse movimento vem ganhando mais força e representará fatia expressiva das vendas nas próximas décadas.

As previsões para 2025 apontam que 70% das vendas no Brasil e 50% na China serão de veículos comerciais com transmissão automática ou automatizada. Na Rússia e na Índia, as perspectivas são de 25% de utilização de automatizadas para caminhões.

De acordo com a pesquisa, somente as montadoras e os fornecedores com fabricação local que são capazes de produzir de forma competitiva poderão ter sucesso nesse setor. E é neste cenário que a ZF lançará na América do Sul a sua EcoTronic, uma transmissão automatizada de 9 marchas para caminhões médios e semipesados, sejam “estradeiros” na configuração 6x2 ou 8x2. O produto é baseado na bem sucedida comercialmente Ecomid, uma manual de 9 marchas.