Tecnologia

#eletromobilidade

Jogada inteligente

miúdo tempo de leitura
Tags: SeeThinkAct, Mobilidadeelétrica

No novo conceito de eixo híbrido eAMT da ZF, um motor elétrico e uma transmissão automatizada interagem perfeitamente com um motor de combustão. Quem dirigiu o veículo de teste equipado com o eAMT ficou entusiasmado com os benefícios do novo acionamento.
Achim Neuwirth, Julho 17, 2018
author_image
Achim Neuwirth escreve para a ZF desde 2011. Sua especialização é redigir textos sobre assuntos automobilísticos: dos veículos à tecnologia que se encontra por trás deles, passando por condução e trânsito.
Partindo do 0, a aceleração do SUV compacto pressiona o motorista e o passageiro contra o assento. O sistema muda automaticamente para a segunda e a terceira marcha – com rapidez e suavidade. E, mais do que depressa, o veículo está acima da velocidade permitida. No centro da cidade, a recomendação é dirigir no modo elétrico para trafegar pelas ruas sem emitir ruídos e poluentes.

Muitas pessoas acreditam que os carros equipados com as funções mencionadas são muito bons, mas seu custo é muito alto. Mas não é o caso se o sistema eAMT entrar para a produção em série. A abreviatura eAMT é do inglês “electrified Automated Manual Transmission” e nada mais é que uma transmissão automatizada elétrica. Recentemente, a ZF apresentou a clientes e jornalistas um protótipo de veículo equipado com a tecnologia. “Isso demonstra que um acionamento híbrido plug-in com funções completas também pode ser facilmente implementado em veículos do segmento mais sensível, oferecendo muita comodidade na troca automatizada de marcha”, explica Norman Schmidt-Winkel. “Além disso, o eAMT aumenta a flexibilidade para as montadoras. O sistema pode ser montado em plataformas existentes de modelos com motor transversal dianteiro e acionamento convencional ou elétrico”, acrescenta o engenheiro de funções da unidade de tecnologia de tração elétrica da ZF mencionando as vantagens adicionais.

Combinação inteligente de tecnologias de tração

Combinação inteligente de tecnologias de tração

Os engenheiros da ZF criaram o sistema eAMT combinando o acionamento elétrico do eixo eVD (sigla em inglês de “electric Vehicle Drive”) da própria marca com uma transmissão automatizada (AMT). Atuadores com controle eletrônico instalados na transmissão automatizada acionam a embreagem e fazem as trocas de marcha para o motorista. Essa solução é ideal para as classes de veículos que, por questões de peso, espaço para instalação e custos, são consideradas inadequadas para transmissões com conversor de torque. “O sistema eAMT tem mais uma vantagem: não é necessário fazer muitas modificações na transmissão automatizada e nem no motor de combustão transversal dianteiro”, afirma Dr. Florian Mühlfeld, líder da equipe de desenvolvimento de sistemas da ZF. No SUV compacto que foi escolhido como veículo de teste, os engenheiros alinharam os dois acionamentos e a transmissão automatizada.
O conceito básico do eAMT: o acionamento elétrico (eVD) está montado no eixo traseiro e os atuadores da AMT estão instalados na transmissão. O motor de combustão (em amarelo) permanece inalterado. A interação dos sistemas fica por conta de um software da ZF.

Confortável como dirigir os “grandes”

Confortável como dirigir os “grandes”

Com eficácia, o motor elétrico resolve um desafio típico das transmissões automatizadas: a solução elimina as inevitáveis interrupções na tração, que ocorrem quando a AMT troca de marcha, e assegura uma aceleração suave. “Só por isso instalar um motor elétrico potente para fornecer o impulso desejado nas pausas entre as mudanças seria muito custoso”, comenta Mühlfeld. “Com o eAMT, criamos um acionamento híbrido com todas as funcionalidades, incluindo tração nas quatro rodas e condução totalmente elétrica. Sem contar que alcançamos um nível de conforto e desempenho nas trocas de marcha comparável ao das transmissões com conversor de torque ou dupla embreagem”, completa.
Mais de 300 pessoas já fizeram um test drive com o protótipo do SUV compacto equipado com o eAMT, um veículo que se baseia em um modelo de série produzido para o mercado indiano. As reações foram bem parecidas. “Da comodidade nas trocas de marcha, passando pela aceleração, até a transição imperceptível do motor de combustão para o motor elétrico, após desembarcarem, todos ressaltaram que o eAMT superou as expectativas”, comenta Mühlfeld, satisfeito com as opiniões unânimes. Mas o desenvolvimento ainda não foi concluído. A equipe continua trabalhando na criação de novas funções.

Os recursos do eAMT

Os recursos do eAMT

  • Condução no modo elétrico
    Só o motor elétrico (eVD) é acionado.
  • Suporte ao torque de tração
    O motor de combustão é o acionamento principal; o motor elétrico é ativado na troca de marcha.
  • Tração inteligente nas quatro rodas
    Se necessário, o acionamento elétrico é ativado junto com a tração dianteira com motor de combustão.
  • Boost
    Havendo demanda de potência adicional, como em uma ultrapassagem, o motor elétrico oferece suporte.
  • Velejar
    O motor de combustão e o motor elétrico não impulsionam o carro, que “veleja” com baixo consumo energético.
  • Recuperação
    Regeneração de energia: ao frear, o motor elétrico funciona como um gerador e recarrega a bateria.
  • Troca de marcha automatizada
    Atuadores com controle eletrônico acionam a transmissão e a embreagem para o motorista.
  • Modo superlento
    No trânsito lento com partidas frequentes, o motor elétrico é ativado e o motor de combustão desliga.
ZF