Tecnologia

#tudoautonomo

Condução semiautomatizada – redefinida

miúdo tempo de leitura
Tags: ZeroAcidentes, ConduçãoAutónoma

Em parceria com a NVIDIA, a ZF desenvolveu o ZF coPILOT, um sistema avançado de assistência ao motorista que assume o controle central de diversas funções, proporcionando uma experiência de condução confortável e segura.
Andreas Neemann, Abril 17, 2019
author_image
Andreas Neemann escreveu seu primeiro texto para a ZF em 2001 sobre as transmissões 6HP e tem contribuído com várias publicações para leitores internos e externos, mostrando sua paixão pelos tópicos mais complexos da empresa.
Combinar o controle de velocidade adaptável (ACC) com a assistência de manutenção da faixa é uma ideia genial. Esse sistema avançado de assistência ao motorista oferece as maiores vantagens no trânsito do tipo anda e para ou ao dirigir lentamente atrás de um caminhão em uma estrada vicinal onde é proibido ultrapassar. Além de conduzir a uma velocidade constante, o ACC (do inglês “Adaptive Cruise Control”) sempre guarda distância do veículo à frente. Sem contar que o carro acelera e freia sozinho e seu programa de direção o mantém automaticamente na pista.

Além de conduzir a uma velocidade constante, o ACC (do inglês “Adaptive Cruise Control”) sempre guarda distância do veículo à frente. Sem contar que o carro acelera e freia sozinho e seu programa de direção o mantém automaticamente na pista.
Essa forma de condução semiautomatizada SAE nível 2 proporciona mais comodidade ao condutor, que até mesmo pode tirar as mãos do volante por curto tempo. Mas é claro que ele precisa estar sempre alerta para retomar o controle a qualquer momento. “Os atuais programas de assistência ao motorista emitem avisos para podermos evitar ou corrigir rapidamente erros de condução, o que ajuda a prevenir acidentes. Mas eles também devem oferecer mais conforto e comodidade ao dirigir. Se os sistemas não reagirem fluentemente ou se em circunstâncias climáticas desfavoráveis eles deixarem de operar porque simplesmente não funcionam nessas condições, sua aceitação será menor entre os motoristas”, afirma Torsten Gollewski, head da unidade de sistemas de mobilidade autônoma da ZF.
O ZF coPILOT estará disponível a partir de 2021.

Não é preciso esperar pelos níveis 3 e 4

Não é preciso esperar pelos níveis 3 e 4

Então temos que esperar até chegarmos aos níveis 3 e 4 da condução automatizada? Na classificação SAE, o nível 3 permite que o motorista abra mão do controle sobre o veículo por períodos prolongados ou mesmo continuamente (nível 4). No nível 3, por exemplo, o condutor pode dar atenção aos filhos sentados no banco de trás ou escrever um e-mail ou uma mensagem no celular. No nível 4 (condução automatizada), é o próprio carro que realiza sozinho todas as tarefas de dirigir.
Independentemente dos vários aspectos jurídicos ainda não solucionados em diversos países com relação ao licenciamento de veículos do nível 3 e 4, em comparação aos recursos do nível 2, suas funções adicionais foram literalmente adquiridas a um custo elevado. Mesmo o nível 3 já requer uma arquitetura de sistemas bem mais complexa, que não se baseia mais simplesmente nos programas ADAS que já temos hoje – ele praticamente reinventa a condução autônoma com conjuntos de sensores, potência de processamento e algoritmos. “A questão é se os níveis 3 e 4 são de fato atrativos para o comprador tradicional de carro”, declara Gollewski. “No nível 3, a relação custo-benefício já não é mais tão balanceada. O nível 4 é bem mais interessante para frotistas e robotáxis utilizados comercialmente do que para o motorista individual”, completa o executivo.
Experimente o ZF coPILOT – seu assistente pessoal de condução

A ZF coloca a condução automatizada do nível 2 em um novo patamar

A ZF coloca a condução automatizada do nível 2 em um novo patamar

Para que o maior número possível de motoristas possam aproveitar o quanto antes os benefícios da condução semiautomatizada, a ZF aposta na reconfiguração inteligente do nível 2 criando o
“nível 2+”: em cooperação com sua parceira tecnológica NVIDIA, a empresa desenvolveu o “ZF coPILOT”, uma solução completa munida de inteligência artificial e equipada com um vasto conjunto de sensores que abrange diversos ADAS. O cérebro do sistema é o computador central ZF ProAI, que incorpora os algoritmos pré-treinados para todas as funções de assistência ao motorista e faz seu controle como uma unidade totalmente integrada. As maiores vantagens dessa tecnologia são sua flexibilidade e escalabilidade. Caso queiram, as montadoras podem incluir recursos adicionais próprios ou desenvolvidos pela ZF. O sistema estará disponível a partir de 2021.
O ZF coPILOT domina certas manobras automaticamente, como entrar e sair em uma rodovia.

ZF coPILOT: o novo nível de direção assistida

ZF coPILOT: o novo nível de direção assistida

Um carro-conceito da ZF que estreou no Salão do Automóvel de Xangai de 2019 demonstra a performance do ZF coPILOT. O veículo é capaz de realizar manobras de direção específicas de forma autônoma, como entrar e sair de rodovias. Para conduzir em estradas no modo semiautomatizado, o ZF coPILOT reúne um sistema ACC ampliado, um programa ativo de direção assistida e manutenção da faixa. Por meio de comando de voz do motorista, o ZF coPILOT é proativo para mudar de pista, fazer uma ultrapassagem e retornar à sua via. A bordo também vai o guia de rota inteligente “MyRoute” – função de mapa que reconhece rotas repetidas. O pacote completo é muito mais do que apenas uma combinação de programas de assistência ao motorista. “O ZF coPILOT oferece funções de condução e segurança que superam a performance de um sistema convencional de direção semiautomatizada do nível 2. Isso permite elevar a qualidade da condução semiautomatizada a um novo patamar, o que somente seria possível por meio da integração bem mais cara e complexa de recursos do nível 3”, ressalta Gollewski.
Na prática, o ZF coPILOT analisa continuamente os arredores do veículo, possibilitando reconhecer pedestres, o tráfego em sentido contrário e cruzamentos, além de auxiliar o condutor caso ele deixe de ver alguma coisa. Os recursos de assistência de direção do ZF coPILOT também podem ser desativados com muita comodidade por comandos de voz. Além disso, o sistema fica de olho na pessoa ao volante, já que inclui câmeras e funções de monitoramento do motorista. Se ele apresentar sinais de sonolência ou estiver distraído por muito tempo, o ZF coPILOT entra em ação e alerta que há uma situação de perigo.
Oliver Briemle, head da engenharia de recursos do nível 4, controle de domínio e V2X, explica as vantagens do sistema de assistência ao motorista