Tecnologia

©ZF
#tudoautonomo

Robotáxis – a carona inteligente

tempo de leitura miúdo
Tags: ConduçãoAutónoma, InteligênciaArtificial, Conectividade

As novas opções de mobilidade urbana, como ride-hailing, são os principais fatores que impulsionam o desenvolvimento da condução autônoma. Com um veículo-conceito, a ZF demonstra como promove formas inovadoras de transporte.
Martin Westerhoff, Janeiro 08, 2019
author_image
Martin Westerhoff Especializado em tecnologia, Martin Westerhoff estudou jornalismo e escreve sobre veículos e tecnologias. Suas paixões são o esporte motorizado e carros de corrida.
Um casal sai de casa e vai até a calçada. A mulher pega o smartphone, acessa o aplicativo de ride-hailing e chama um robotáxi autônomo. Logo em seguida, ela recebe a resposta da nuvem: o veículo chegará em dois minutos. Ele aparece com outros passageiros que já haviam embarcado e que também querem ir até o centro. Com um protótipo de veículo sem volante e sem pedais, recentemente a ZF apresentou um cenário de serviço de táxi personalizado semelhante a esse na Feira de Eletrônicos de Consumo (CES) de 2019, em Las Vegas.

“O crescente aumento do transporte de passageiros e mercadorias nos centros urbanos requer automatização, eletrificação e integração. Com as nossas amplas competências em sistemas, estamos promovendo e definindo a mobilidade da próxima geração”, comenta Torsten Gollewski, responsável pela engenharia avançada da ZF e diretor da ZF Zukunft Ventures GmbH. “Além de serem atrativas para as montadoras estabelecidas, nossas soluções modulares versáteis são sobretudo interessantes para as novas empresas que estão entrando no mercado da mobilidade”, acrescenta o executivo.
Como isso poderá funcionar no futuro é demonstrado pelo e.GO People Mover, desenvolvido e comercializado pela e.GO Moove, uma joint venture criada entre a ZF e a startup alemã e.GO Mobile AG. O início da produção em série está previsto para o final de 2019 na Alemanha, com ampliações que já estão sendo feitas para fabricar volumes na casa das dez mil unidades ao ano. A ZF e a e.GO Moove divulgaram um cliente e anunciaram uma parceria com a Transdev, uma das maiores operadoras internacionais de mobilidade com 11 milhões de clientes ao dia, para continuar expandindo os negócios de mobilidade como serviço por meio do e.GO People Mover.
Ride-hailing autônomo: os passageiros indicam pelo smartphone para onde querem ir e, logo em seguida, um robotáxi chega.

Analistas preveem boom do mercado com ride-hailing

Analistas preveem boom do mercado com ride-hailing

Análises fundamentadas em avaliações do Goldman Sachs, da Roland Berger e da McKinsey revelam que, a partir de 2030, o mercado de condução autônoma chegará ao patamar anual de 12 a 18 bilhões de dólares no segmento de carros de passeio e de até 36 bilhões de dólares no setor de veículos comerciais. Esses valores incluem hardware, software, serviços e possível retrofit. Na área de transporte de passageiros e cargas, os analistas projetam um potencial entre 20 e 50 bilhões de dólares ao ano. Com uma previsão de 18 a 35 bilhões de dólares, o campo de ride-hailing, que se baseia em corridas compartilhadas em robotáxis ou shuttles robôs (traslados), deverá exceder o dobro do mercado de automóveis, contanto que as regulamentações legais sejam aprovadas em tempo, o que abrange regras que permitem às operadoras oferecer táxis sem motoristas humanos.

Soluções para desenvolver veículos robôs

Soluções para desenvolver veículos robôs

Com seu robotáxi, a ZF demonstra na CES que, como especialista em tecnologia, está na posição de oferecer as soluções necessárias para desenvolver veículos robôs e os respectivos serviços relacionados, o que está alinhado à filosofia da empresa: “see. think. act.”. O conjunto de sensores da ZF possibilita ao carro-conceito reconhecer seu ambiente com precisão. O ZF ProAI RoboThink, um computador de alto desempenho que viabiliza a condução autônoma, foi projetado para processar o imenso volume de dados dos sensores, obter uma ampla visão geral e determinar os devidos comandos a serem implementados pelos sistemas integrados da ZF – como chassis, acionamento, direção, freios e sistemas de segurança dos ocupantes.
O ZF ProAI RoboThink é, atualmente, a unidade de processamento central de maior potência no campo automotivo. A mais recente geração da linha de produtos ZF ProAI tem seu próprio processador gráfico e oferece potência de processamento superior a 150 teraflops (o que equivale a 150 trilhões de operações por segundo), sem contar que sua modularidade possibilita a combinação com até quatro unidades, resultando em um desempenho total de 600 teraflops.
Além disso, a ZF está trabalhando na integração dos sistemas mecânicos inteligentes com sua plataforma baseada em nuvem para serviços de mobilidade. A tecnologia permitirá incluir funções de todas as operadoras como, por exemplo, de ride-hailing, serviços de entrega inovadores e gerenciamento de frotas. O software do veículo também poderá ser atualizado em nuvem.
“Além de serem atrativas para as montadoras estabelecidas, nossas soluções modulares versáteis são sobretudo interessantes para as novas empresas que estão entrando no mercado da mobilidade.”
— Torsten Gollewski, responsável pela engenharia avançada da ZF e diretor da ZF Zukunft Ventures GmbH

Evitando corridas desnecessárias

Evitando corridas desnecessárias

Uma pesquisa realizada pela Universidade do Colorado, em Denver, evidencia a importância da potência de processamento e da integração para o cálculo contínuo dos trajetos. Os pesquisadores descobriram que as atuais corridas de ride-hailing realizadas na área metropolitana de Denver podem aumentar as distâncias rodadas de carro em até 83%. Os quilômetros adicionais são gerados sobretudo por shuttles que acabam circulando sem passageiros – ou por passageiros que costumavam andar a pé ou de bicicleta. “O uso de carros autônomos como táxis compartilhados, semelhante ao Uber hoje, ajudaria a limitar os quilômetros rodados por um veículo”, afirma Wesley Marshall, professor associado do Instituto de Engenharia Civil e coautor da pesquisa. Ele espera que, dependendo da demanda de transporte, também sejam utilizados automóveis menores e eficientes. De qualquer forma, a ZF tem um portfólio com soluções perfeitas para veículos automatizados, eletrificados e conectados.
Chegando ao destino com tecnologia de ponta: o ride-hailing sem motorista exige muito mais potência de processamento do que a condução autônoma. O ZF ProAI RoboThink atende aos elevados requisitos.